Boas práticas mostram alcance da atuação de sindicatos empresariais





Iniciativas de entidades espalhadas Brasil afora mostram como a atuação sindical é fundamental para o desenvolvimento da indústria e da comunidade

 

Em Santa Catarina, um sindicato se mobilizou e conseguiu que o Estado corrigisse distorções e acelerasse a conclusão de importante obra rodoviária. No Espírito Santo, um sindicato de Linhares está ajudando a mudar a vida de crianças e adolescentes pobres da cidade. Na Bahia, a atuação dos representantes da indústria conseguiu reduzir o peso dos impostos para a produção de cimento.

Esses são alguns dos exemplos de como os sindicatos de representação do setor produtivo são importantes para melhorar o ambiente de negócios de uma região e quais serviços prestam às empresas e às comunidades em que estão inseridos. Conheça a seguir um pouco mais sobre iniciativas sindicais bem sucedidas pelo Brasil:


Espírito Santo: aproximando empresas capixabas 
Entidades representativas também podem se unir para fortalecer cadeias produtivas locais. Sabendo disso, o Sindicato das Indústrias de Material Plástico do Espírito Santo (Sindiplast/ES) começou, há três anos, a organizar os Encontros de Negócios. A cada quatro meses, empresários do ramo plástico se reúnem com representantes de indústrias de panificação, químicos, frigoríficos, alimentos congelados e sorvetes, bebidas, entre outros, para identificar novos parceiros e encontrar soluções inovadoras para desafios enfrentados pelo setor produtivo. De uma dessas reuniões, por exemplo, saiu a ideia de utilizar estufas plásticas para a secagem de café, uso inédito dessas estruturas até então. A aproximação entre diferentes segmentos industriais também favorece a formação de cadeias de fornecedores locais. 

Bahia: Negociando a redução de carga tributária 
Uma das missões dos sindicatos empresariais é articular junto aos governos estadual e municipal ações que melhorem o ambiente de negócios para o setor que representa. Um bom exemplo disso vem do Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento da Bahia (Sinprocim/BA). Em 2012, a instituição conseguiu reduzir de 17% para 12% a base de cálculo de ICMS para produtos pré-fabricados de cimento produzidos no estado. Em três anos de vigência, a medida reduziu em R$ 2,7 milhões a tributação sobre as empresas, que ganharam competitividade em relação a outros estados. O acordo vence em dezembro deste ano e o sindicato já está em nova rodada de negociação com o governo. 

Santa Catarina: cobrando o uso eficiente do dinheiro público 
Iniciativas sindicais podem contribuir para garantir o gasto correto de recursos públicos. Exemplo se vê na atuação do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Lages (Simmmel/SC). Em 2013, a instituição liderou um grupo de empresas que elaborou um relatório técnico que mostrou uma série de irregularidades nas obras da BR 282 – rodovia que liga Florianópolis a Paraíso, na fronteira do estado com a Argentina.  Com o estudo na mão, o Simmmel/SC convocou uma entrevista coletiva para apresentar os problemas constatados. A ação teve impacto instantâneo. O Ministério Público Federal convocou o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT) para uma audiência pública com a participação de instituições locais, entidades de representação empresarial e agentes comunitários, cujo resultado foi a mudança de padrão e forma de execução das obras, que foram corrigidas e aceleradas. 

Mato Grosso: evoluindo para a sustentabilidade 
A indústria madeireira é muito forte no Mato Grosso, mas, por vários anos, o setor carregou a fama de inimigo do meio ambiente. Para caminhar em direção a práaticas sustentáveis e harmonizadas com a legislação ambiental, oito sindicatos empresariais de base florestal se uniram e criaram, em 2004, o Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira de Mato Grosso (Cipem). O principal objetivo é incentivar a produtividade e o consumo consciente de madeira e seus subprodutos, bem como difundir e apoiar a adoção do manejo florestal sustentável pelas empresas do setor. A atuação coletiva dos oito sindicatos têm promovido ações de capacitação, desenvolvimento técnico e tecnológico, e defendido o aperfeiçoamento da legislação vigente e a execução de políticas de interesse setorial e de ações para promover o acesso a novos mercados. 

Espírito Santo: dando oportunidades para crianças e adolescentes 
Sindicatos podem ajudar a mudar a realidade social de um lugar e estender a atuação das empresas para além da geração de empregos e renda. No Espírito Santo, uma ideia nascida dentro do Sindicato das Indústrias de Madeira e do Mobiliário de Linhares e Região Norte do Espírito Santo (Sindimol/ES) se tornou um projeto que já beneficiou mais de 3 mil crianças de bairros pobres de Linhares. São os projetos Crescer e Atleta do Futuro que, em parceria com o Serviço Social da Indústria (SESI), oferecem atividades socieducativas e práticas desportivas. Só nestse ano, são 400 crianças atendidas. As ações são coordenadas pela Associação Feminina do Sindimol (Afemol) em um espaço de 42 mil metros quadrados. Parte dos recursos que mantém a iniciativa sai do Fundo da Criança e do Adolescente do estado, mas a maior parcela dos R$ 400 mil investidos nos projetos vem de doações dos empresários ligados ao sindicato. 

Por Ariadne Sakkis 
Da Agência CNI de Notícias